“Mas tudo bem, você pode ir. Sua vontade nunca foi ficar, se é que você um dia esteve.”
Guilherme  

“Mas, dá pra ver, nós seríamos um grande casal, você sabe, se houvesse alguma possibilidade.”
Gabito Nunes. 

“Robin, esses dias “tava” pensando em tudo o que a gente enfrenta dia à dia e nessa guerra pessoal que nunca dá em fim. Não dá nem fim da guerra, nem de nós dois. Acho que se eu pudesse colocar uma metáfora perfeita pra você seria universo. Quer dizer, você não poderia ser só um mundo e muito menos dois, porque você tem várias de si mesma. Então eu prefiro te colocar tipo um universo. A lua perde de lavada pra você quando se trata de fases, Robin. E eu ainda não sei te dizer se isso é bom ou péssimo. Porque a maioria das suas fases não gostam muito de mim, mas você gosta. Pode negar quantas vezes você quiser, mas sua paranóia sempre te entregou. Já perdi a conta de quantas vezes você quis se fazer indiferente pra depois explodir. De quantas vezes você se fez de pedra, sendo que todo mundo sabe o quanto você não é durona. Ou melhor, ate é. Mas não o tanto quanto você gostaria. Você me faz mal a cada vez que bate a porta na minha cara querendo sumir, deve ser por isso que eu sempre te quero de volta. Pra ter certeza que uma parte sua sempre vai ficar mesmo querendo ir. Porque até aquele átomo que ninguém vê força a cabeça que ele nem tem pra te entender. Eu sempre reclamei e nunca consegui. E eu queria mesmo largar dessas suas fases e ir procurar alguém que seja uma coisa só pra que eu possa entender. Só que, Robin, o que é um mundo comparado a um universo? Isso aí. Nada. Acho que deve ser por isso que eu sou incapaz de procurar outra coisa. Porque eu sei bem que não quero achar.”
robin and stubb.

yes mom i know my room is a mess its a metaphor for my life im trying to be poetic